quarta-feira, março 23, 2005

ReEvolução Kultural

CAPITULO I

Kultura, é um palavra bnit, ma el é um verdaderâ bosta(desculpa_me ess expressao kes burro é k ta fazel), konde bô ta oia ke bo paìs ta vivé num verdadeira TIRANIA KULTURAL, ja tem mais de 20 anos, dominode pa um quadrilha de pseudo_intelectuais, ditos senhores de sabedoria de nôs nação, e que nô ta atravessa um momente de grande estagnaçao de produtividade kultural(segundo alguns), ondé k kem ta tra proveito, é um meia duzia de sempre, e que esh ta refugia na mesma desculpa de sempre, « que ka tem nada de novo », sem ninguém desconfia de ses manobra.

Um paradoxo : nô ta vive na democracia ja tem uns tempos, ma democracia, ka tchegà na nôs cultura, e el ta bem dura ness mesmo estado por mais um bom tempo, a não ser que parce algum «grupo terrorista cultural » pa minà ess sistema de amigagem e elitismo de nôs Kultura, el precisa dum verdadeira REEVOLUçÃO (revolução+evolução), porque senão, nô ta bem ter kës mesmo gente , na kës mesmo lugar, por mais uns bons tempo.

Exemplo flagrante a nivel musical , ess promoçao de zoukalhada e derivados, que nô tem( na nos televisão e radios) el ka tem mais beneficiario do ke ses promotores e companhia, e mais kel cambada de parvos é ke ta fazel pa ganha denher, sem nenhum sentimente, sem nenhum amor a nôs unico riqueza : nôs kultura(ma kel seja kel de nôs).

Um verdadeira formatação cerebral, que nô ta ser fet , sem faze um minimo pa contrarià ess cambada de pseudo_intelectuais, que tem ses continha feito ja tem tcheu temp.Gente que cerebro e inteligençia ka ta falta na terra, ma tambe sem escrupulo e aproveitadores tem tcheu li pa nôs banda.Por isso, ess é um apelo pa tude kem krê contrarià ess dita estagnaçao, e ess aproveitamente de nôs kultura pa esh tiranos e gente k tras de $$$$.

Nimguém é obrigode a segui mesma linha de ses antepassode, e tcha tude na mesma , se no ka ta aceita, nô dze sem medo o k no ta pensa, e nô faze sem medo akilo k no kre faze pa um verdadeira kultura caboverdiana.Nem tude o kês pobe na prote bô é obrigode a cmel, bo pode cuspil, se bo ka ta gosta.

Ja tchegà temp de no dze : BASTA DE BOSTA

Assinado :ARU TLUK, aka Dom Bilau III

sexta-feira, março 18, 2005

A (In)Segurança em Cabo Verde

Casas arrombadas à luz do dia, carros incendiados ou furtados, crianças violadas, pessoas assaltadas, assassinatos misteriosos a tiros e com arma branca, pessoas andando com pistolas na cintura prontas para atirar… Credo!! Até parece o programa Cidade Alerta da Rede Record. Mas o nosso arquipelágo está mesmo em alerta Vermelho.
Lá se foi os tempos em que as pessoas andavam nas ruas de Cabo Verde de forma tranquila, sem preocupações de serem assaltadas; em que as crianças corriam para lá e para cá sem perigo de serem molestadas; em que se deixava a porta entre-aberta para “correr um ar”.
Hoje, o cidadão caboverdiano não anda tranquilo, o medo passou a fazer parte do seu quotidiano. Está sempre ouvindo histórias horriveis que aconteceram com o vizinho ou com algum amigo e a população está a mudar alguns hábitos e comportamentos por causa da violência que assola algumas das nossas cidades.
Isso é extremamente preocupante, principalmente para um país que vê o turismo como pedra angular para o seu desenvolvimento. Mas a pergunta que coloco é onde estão as nossas autoridades, o Governo, a Polícia, os presidentes e as presidentes das Camâras Municipais, os nossos representantes na Assembléia Nacional (deputados da nação) para colocarem este assunto em pauta e arranjar soluções? Afinal, nem todo o cidadão caboverdiano consegue ter um segurança particular, um guarda-costa, andar de carro blindado, um guarda na porta de seu condomínio ou um alarme moderno na sua mansão.
Acho que nós, cidadãos desse país merecemos outro tratamento, ou só servimos para pagar impostos? Impostos já pagamos muitos, aliás com a introdução do IVA o governo passou a arrecadar mais, portanto, deveria estar investindo mais em áreas prioritárias como Segurança, Educação, Sáude, etc.
Acredito que as nossas polícias precisam ser mais eficazes, mais actuantes, estarem mais presentes nas ruas (principalmente á noite fazendo rondas), o nosso judiciário precisa de uma reforma urgente. O governo deveria começar a investir mais em Segurança, na luta contra o tráfico e o consumo de drogas, que são algumas das causas da violência em Cabo Verde.
Portanto, caro cidadão, enquanto isso não acontece aposte na prevenção, mas não deixe de cobrar teus direitos que estão consagrados na Constituição da República. O direito a Segurança é um deles.
Césaria Evora canta que Cabo Verde é um brasilirim, mas não queremos que seja a nivel de insegurança.